Santa Sé defende na ONU desenvolvimento integral do homem

A Santa Sé acolheu positivamente a publicação do Documento Final da 3ª Conferência Internacional sobre o Financiamento para o Desenvolvimento das Nações Unidas, realizada em Adis Abeba, capital da Etiópia, e encorajou a Comunidade internacional a promover uma mudança de paradigmas que traduza declarações em ações.

“Levando em consideração o progresso atingido e os desafios que ainda se colocam adiante, a Santa Sé apoia a característica global do Documento Final, ou seja, para acabar com a pobreza e a fome e alcançar o desenvolvimento sustentável”, declarou o oservador permanente da Santa Sé, Arcebispo Bernardito Auza.

Ao recordar que o Documento Final destaca a problemática das pessoas em situações vulneráveis, especialmente meninas e mulheres, a Santa Sé sublinha três aspectos do Documento dos quais dependerá o sucesso da meta de se atingir o desenvolvimento sustentável no planeta: mobilização de recursos financeiros; a criação de um ambiente financeiro internacional participativo e um efetivo monitoramento da implementação do Documento Final.

Todas as fontes de financiamento devem ser mobilizadas, sejam elas nacionais, internacionais, setor privado ou governos, todavia a Santa Sé adverte que em primeiro lugar deve-se levar em conta o desenvolvimento integral do ser humano.

Atenção

A delegação vaticana recordou ainda que os países têm a responsabilidade primária de incentivar o desenvolvimento social e econômico por meio de políticas nacionais que sejam coerentes e levem em consideração o desenvolvimento sustentável.

Contudo, a comunidade internacional deverá observar com atenção os países sem saída ao mar e Estados-ilha que “talvez precisem de assistência para revisar e avaliar seus progressos”, concluiu Dom Auza.

ONU

O secretário-geral da ONU, Ban Ki Moon afirmou que o Documento Final da Conferência “vai revitalizar a parceria global e estabelecer uma base sólida para a implementação da agenda de desenvolvimento pós-2015?.

Segundo Ban, o acordo indica ainda o caminho para “investimentos inteligentes para as pessoas e o planeta”, onde eles são realmente necessários, como também quando e o tamanho desses financiamentos.

Mudança Climática

O chefe das Nações Unidas declarou que a Conferência em Adis-Abeba foi o primeiro de três marcos importantes em 2015.

Ele disse que, a partir de agora, os Estados-membros terão que trabalhar mais intensamente para ter sucesso na conferência sobre desenvolvimento sustentável, em setembro e para chegar a um acordo significativo sobre mudança climática, em dezembro, em Paris.

Facebook Comments