NOTA DE FALECIMENTO FREI MATEUS ROTHMANN – OFM

A Arquidiocese de Campo Grande comunica com pesar o falecimento do Frei Mateus Rothmann- OFM. O velório será na Paróquia de São Francisco de Assis a partir das 13h30min e a missa de corpo presente será celebrada amanhã às 06 h, 8:00 Sepultamento – Cemitério Santo Antonio.

Frei Mateus Rothmann (nome religioso) nasceu na Alemanha, região de Frankfurt, no dia 13 de novembro de 1915, filho de Joseph Rothmann e Perpétua Dehler. Seu nome de batismo é Ernest e teve uma irmã e seis irmãos, já falecidos.

Bem cedo foi para o seminário, estudou quatro anos na Holanda, retornando para a Alemanha onde fez noviciado e dois anos de filosofia na Ordem dos Frades Menores (OFM). Em 1939 estourou a guerra e foi convocado para formar as fileiras do exército alemão. Ali, ele permaneceu seis anos, dois dos quais como prisioneiro em Chartres, na França. Neste meio tempo conseguiu fazer um ano de Teologia. Um ano antes do fim da guerra conseguiu retornar à Alemanha, graças a um médico católico que atestou que o jovem Ernest estava doente.

Em sua terra, primeiro trabalhou na lavoura para ganhar seu sustento e da família. Em seguida, empregou-se na prefeitura municipal por quatro anos, acolhendo os fugitivos da guerra que retornavam à pátria e precisavam de casa. Por influência do irmão mais velho, que ao voltar dos campos de batalha se fez frade franciscano, resolveu também retomar sua caminhada franciscana. Por isso, fez novamente o noviciado em 1949 e depois mais três anos de Teologia. Em 19 de julho de 1953 recebeu sua ordenação sacerdotal. Ficou um ano na Alemanha e depois veio para o Brasil.

No Brasil

Veio para o Brasil numa viagem de navio que durou cerca de 12 dias. Passou oito meses em Gaspar (SC) para aprender o português, mas de nada lhe serviu pois, todos lá falavam alemão.

Em 1955, foi transferido para Cuiabá, onde permaneceu por dois anos. Já em 1957, o missionário Frei Mateus chegava para trabalhar na paróquia de Rosário Oeste, perfazia longos percursos no lombo do cavalo, em viagens que duravam de 15 a 20 dias para atendimento religioso em fazendas e comunidades rurais.

Em MS

Em 1960 foi transferido para Paranaíba (hoje Mato Grosso do Sul), porém durante dez dias por mês precisava cuidar da paróquia de Cassilândia, distante 90 Km. No ano seguinte, assumiu a Catedral de Dourados ficando até 1964. Em março deste ano, é criada a paróquia Senhor Bom Jesus em Caarapó e Frei Mateus foi nomeado primeiro pároco, ficando até 1966, retornando em 1969 permanecendo até 1981, quando teve que ausentar-se para tratamento de saúde, devido a um enfarte.

No início da década de 1980 esteve em Dourados, na Paróquia Imaculada Conceição, trabalhando de 1984 a 1988. Neste tempo Frei Mateus atendeu a Comunidade Santo André (hoje paróquia), além dos trabalhos espirituais, ajudou a formar a Coordenação do Conselho Comunitário de Pastoral, foi orientador da Legião de Maria entre outros trabalhos importantes na vida comunitária.

Novamente foi transferido para Caarapó e lá permaneceu até 1991. Em Caarapó, o hospital municipal da cidade do qual foi o fundador leva o nome de seu onomástico, Hospital São Mateus e de um Centro de Educação Infantil Frei Mateus (antiga creche Frei Mateus), no bairro Vila Planalto.

Após este período, por ordem do superior provincial, foi designado como vigário paroquial na atual paróquia, São José em Itaporã. No município desenvolveu seu trabalho missionário com dedicação, amor e zelo para com a comunidade, para com as pessoas, ao angariar fundos e fazer doações para a construção e reformas de capelas, salões paroquiais.

Frei Mateus conquistou por onde passou uma legião de fãs, pessoas que o admiram por seu seu jeito sereno, calmo, prestativoe caridoso, é considerado um homem de oração, é responsável pela fé de milhares de cristãos.

Facebook Comments