Múnus de Liturgia : A Quaresma

por Frei Alberto Beckhauser, OFM

A Quaresma só pode ser entendida e vivida à Luz do Tríduo Pascal da Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo.

Fundamentalmente o Tríduo Pascal é a comemoração da morte e da ressurreição de Cristo, a Cabeça e dos cristãos, os seus membros. É a festa batismal da Igreja. No Cristo morto e ressuscitado ela celebra o novo nascimento dos que são batizados e renova a Aliança batismal dos que foram batizados. Para esta festa batismal a Igreja se dispõe pela penitência: a primeira penitencia catecumenal dos que vão ser batizados, a penitencia de conversão dos pecadores e a penitencia renovadora dos que desejam aprofundar sua vida batismal. Por isso, os dois grandes temas da Quaresma são:  o batismo e a penitencia, a primeira e a segunda conversão.

Para isso ela tem sua linguagem, seus exercícios de conversão, seus ritos. A Igreja se abre à pregação de Cristo; acompanha sua vida pública, para com ele subir a Jerusalém e com ele morrer e ressuscitar na Semana Santa e na Páscoa.

O primeiro Domingo apresenta sempre o Evangelho das tentações de Jesus nos quarenta dias de jejum e oração no deserto. Esta luta do cristão contra o mal, a exemplo de Cristo, só tem sentido à luz da ressurreição. Por isso, no segundo Domingo, temos o Evangelho da Transfiguração. Os domingos seguintes são diversificados: O Ano A apresenta o tema do Batismo com suas exigências. Os Anos B e C levam a aprofundar o tema da penitência, para que catecúmenos e batizados possam viver a festa do Batismo no Tríduo Pascal.

Facebook Comments