Dom Antonio Barbosa, 1º Bispo

Dom Antonio Barbosa nasceu em São Paulo – SP, no dia 10 de Maio de 1911, filho do carpinteiro Bendito. Ao ser nomeado bispo no dia 23 de janeiro, escolheu receber a ordenação episcopal no dia 1º de maio em reverência à memória de seu pai, e também para sublinhar o lugar que em seu ministério apostólico ocuparia a causa dos trabalhadores.

Assumiu a Diocese no dia 24 de maio, véspera de Pentecostes e dia dedicado a Na. Sra. Auxiliadora. O ardente desejo de Dom Antonio estava em que o início da vida da Igreja que assumia como Pastor fosse como um novo Pentecostes, para que com a luz e os dons do Espírito Santo, “as inesgotáveis Riquezas de Cristo” (Ef 3,8), fossem e continuassem a ser bem “anunciadas” e a multidão dos fiéis ser “um só coração e uma só alma” (At 4, 32). E qual referencial?  Essas riquezas sejam acolhidas, como o fazia a Virgem Santíssima que “guardava no coração todas estas coisas [= sobre Jesus Cristo] (Lc 2,51) – e no Cenáculo‘estava integrada com os apóstolos, discípulos e um grupo de mulheres, orando junto ‘com eles e elas’(Atos, 1,14).

Era também o momento de homenagear a Virgem Mãe Auxiliadora dos Cristãos, padroeira da Congregação Salesiana, da qual era membro. Ansiava mesmo era celebrar sua primeira Missa como pastor da nova diocese, na solenidade de Pentecostes, e consagrando seu ministério apostólico e a Igreja Particular em inteira e atenta disponibilidade ao Divino Espírito Santo a exemplo do SIM de Maria. Ao longo de sua vida, Dom Antonio foi incansável em anunciar que a Virgem Mãe da Igreja é membro dela e modelo de sua perfeição e fidelidade. E que Ela, como em Pentecostes, continua a atrair o Divino Espírito para fecundar a missão que lhe vem da Trindade como Igreja a serviço do Reino.

Na marcha da caminhada missionária e pastoral, no mesmo mês de sua nomeação episcopal (janeiro), o apostólico Papa Paulo VI reconheceu que a Igreja pastoreada por D. Antonio estava suficientemente amadurecida para tornar-se mãe de duas filhas gêmeas.
Assim, no dia 03 de janeiro de 1978, desmembrando seu território, criou pela Bula “Sacer praesul”, a diocese de Três Lagoas e, pela Bula “Qui ad beatissimi Petri similitudinem”, a Prelazia de Coxim que, ao celebrar 25 de vida e missão, João Paulo, pela Bula “Ad perpetuam rei memoriam” de 13 de novembro de 2002, II houve por bem transformá-la em Diocese.
Na mesma data da criação, Paulo VI nomeou seus primeiros bispos, Mons. Geraldo Majela Reis, do clero da Arquidiocese de Mariana-MG e reitor do seu Seminário, para Três Lagoas-MS e Fr. Clóvis Frainer, OFMCap, vigário da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, Campo Grande-MS, para Coxim. E ambos canonicamente as assumiram no mês maio desse ano: D. Geraldo Majela Reis no dia 07 e D. Clóvis Frainer, no dia 15.

O bispo D. Antonio Barbosa deu continuidade ao Seminário Diocesano, implantou a Radio Educação Rural e o Movimento de Educação de Base-MEB, adquiriu o Jornal do Comércio e estimulou os Salesianos a iniciar os cursos universitários mediante a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Dom Aquino Corrêa.

D. Antonio Barbosa falaceu dia 03 de Maio, exatamente no dia da festa dos Apóstolos S. Filipe e S. Tiago e “mês de Maria”, da “Virgem Mãe da Igreja”, também no mês em que ele nasceu (10), recebeu a ordenação episcopal (01) e assumiu a diocese como primeiro bispo (24). 

Facebook Comments