Comentário de Padre Lombardi sobre a viagem do Papa à Albânia

Para um comentário sobre a quarta viagem internacional do Papa Francisco acompanhamos o Diretor Geral da Rádio Vaticano Padre Federico Lombardi, que acompanhou o Santo Padre:
R. – Gostaria imediatamente de dar uma pequena nota interessante. Estava falando há pouco com o Padre David Djudja, que é um nosso colega da Rádio Vaticano, que foi o intérprete do Papa nesta viagem, e ele me dizia que, enquanto eles estavam juntos no carro, vindo do aeroporto em direção a Tirana, o Papa disse: “mas que população jovem! Quantos jovens!” Pensando que estamos na Europa, que ao invés – frequentemente ele diz – está um pouco envelhecendo. Então, esse tema da população jovem, que chamou muito a sua atenção, nós ouvimos depois em se RealAudioMP3 us discursos: ele disse claramente seja na homilia, seja depois no momento do Angelus. O Papa fala a um povo jovem e neste contexto, realça a esperança na construção do futuro e na contribuição positiva à Europa, onde esse povo deseja se integrar plenamente. E mais uma coisa: o Papa, vendo todos os símbolos das águias ao longo do caminho, dizia a Padre David que a águia voa alto, mas não abandona seu ninho, sempre volta ao seu ninho, mesmo voando alto. E também este é um tema que ele retomou em seus discursos, e se vê que chamou muito a sua atenção. A Albânia, país das águias: este símbolo é muito interessante, muito importante.

Outra pequena coisa que o Papa disse ao Padre David, no carro, é que ele conheceu Madre Teresa no Sínodo de 1994. O Papa participava do Sínodo e Madre Teresa estava no Sínodo. Como sabemos, de vez em quando, de fato, as grandes figuras do catolicismo são chamadas pelo Papa para participar do Sínodo. Bergoglio tinha Madre Teresa atrás dele, perto, e a ouvia frequentemente intervir com muita força, sem deixar-se, minimamente impressionar diante de toda aquela assembléia de bispos. E tinha por ela uma grande estima, como uma mulher forte, como uma mulher capaz de dar um testemunho corajoso. Depois fez uma brincadeira: “Eu teria medo de tê-la como superiora, porque era uma mulher muito forte”. Bem, este é o Papa que chegando a Tirana, fez este tipo de observações. Quando ele chegou ao Palácio Presidencial, o presidente o fez sentar diante de um livro de honra para escrever um seu testemunho. Posso dizer o que ele escreveu, porque depois eu tomei nota. Ele escreveu: “Ao nobre povo albanês, com o meu respeito e admiração pelo seu testemunho e sua fraternidade ao levar avante o país”.
Assim, vemos que retornam esses conceitos que ela já tinha destacado, enquanto falava da preparação da viagem. Retornam como um refrão em seus discursos e em vários momentos: a admiração e estima por esse povo, seja pelo testemunho de coragem, do qual os mártires são o exemplo mais extraordinário, seja pela fraternidade, a capacidade de convivência, apesar das diferenças.

Disseram-me que também o colóquio com o presidente foi muito intenso, que o presidente estava muito emocionado, talvez até um pouco acanhado, mas certamente muito emocionado. O Presidente Bektashi é muçulmano e falou com o Papa, com muita gratidão, dizendo-lhe que de fato a harmonia entre as religiões, que se busca viver agora na Albânia, fortalece muito também a democracia e o desenvolvimento da nação. Por isso, é muito grato ao apoio que a Santa Sé dá e também o Papa com esta viagem, e disse que é uma bênção. Este tema da bênção, vemos que é fortemente sentido, também pelos muçulmanos. É uma palavra forte, e todos esperaram esta viagem como uma bênção do Santo Padre para o povo, para o país, para o seu futuro. Eu não sei se vocês perceberam, durante o seu discurso, o Papa em certo momento fez uma pequena pausa e disse a palavra “respeito”. A palavra “respeito” aqui é uma palavra essencial..
Eu diria, uma viagem em que as contribuições do Papa são muito fortes sobre questões, que de alguma forma já eram anunciados: de viver juntos em paz, da religião, da convivência entre as religiões como um elemento de paz e de diálogo e não de tensão e conflito, que é uma mensagem de atualidade incrível para diferentes partes do mundo; e depois também o tema da esperança, da fidelidade aos grandes valores, da coragem e da força do testemunho na construção do futuro. Por isso, penso que é uma viagem que apresenta muito uniforme essas mensagens, e que o povo se preparou para recebê-las.

Rádio Vaticano

Facebook Comments